EQ7A7118 - cópia_edited.jpg
02_final_Banner A MILIONARIAsmall - cópia.jpg

A MILIONÁRIA

TEMPORADA GRATUITA 

 JUNHO A AGOSTO DE 2022

 HISTÓRICO DA PEÇA 

A Milionária foi produzida em 1953 pela Cia. Eva Todor na cidade do Rio de Janeiro e depois em São Paulo. Em 1983 teve uma única apresentação no Rio. O texto já havia recebido uma nova tradução no ano de 2017- em sua primeira versão - pelo ator e diretor da montagem, Thiago Ledier  e era objeto de estudos dentro do Círculo de Atores quando foi lançada uma seleção pública da Secretaria Municipal de Cultura do município de São Paulo para montagens a serem apresentadas em teatros distritais.

 DEMOCRATIZAÇÃO DE ACESSO 

Desde O Homem do Destino, o grupo implementou uma política de democratização de acesso, com ingressos a preços populares ou entradas gratuitas. Num país onde a maior parte da população tem renda insuficiente para suas necessidades básicas e em sintonia com as ideias políticas de Shaw, proporcionar acesso às populações em situação de vulnerabilidade social ao teatro é ponto fundamental do trabalho.

 O CONTEXTO DA OBRA 

Retratar a irresistível trajetória de Epifânia, esta outra grande personagem feminina, com toda a sua potência de ação, mesmo estando ela num momento de extrema vulnerabilidade pessoal; uma comédia na qual um dos primeiros assuntos colocados em cena é a possibilidade do suicídio, numa espécie de encontro jurídico e psicanalítico no início da peça e a irrupção de um personagem muçulmano num choque de culturas; todos esses temas tão atuais, convergiram para a escolha da peça. O humor anárquico da obra, que impõe enormes desafios aos intérpretes, poderia causar um estranhamento às audiências. Mas Shaw riu novamente.

A peça estreou no dia 03 de agosto e sua primeira temporada foi até o dia 23 de setembro de 2018. Com acesso gratuito ao público, o índice de ocupação no local da estreia foi de 98%, superando as expectativas mais otimistas dos organizadores. Após a ótima recepção por parte da crítica especializada e do público, a produção recebeu convites para apresentações em mais três cidades no interior do estado de São Paulo e ainda foi apresentada em 04 centros culturais localizados nas áreas mais carentes da cidade. Por sua atuação como Epifânia, Chris Couto foi a vencedora na categoria de Melhor Atriz na 31ª edição do prêmio Shell.

 

 BATE PAPO COM O PÚBLICO 

Implementou-se ainda conversas rápidas e informais com as audiências após as apresentações, onde se falava sobre a vida e a obra de Shaw e sobre a montagem propriamente dita. Depois, abria-se a possibilidade de perguntas por parte da audiência e indicavam-se canais virtuais de acesso à informações complementares sobre Shaw e sobre o trabalho do Círculo de Atores. Isso aumentou sobremaneira o interesse do público em relação à obra.